Resumo do testemunho do Rabino Ortodoxo Armond Danny Moyal

23/09/2016 23:01

RESUMO DO TESTEMUNHO

DO RABINO ORTODOXO

ARMOND DANNY MOYAL

 

 

Eu nasci no Marrocos em uma família judaica muito ortodoxa.

Meu pai era um dos famosos rabinos de lá, e todas as nossas vidas giravam em torno do aprendizado da Torá nas Yeshivot[1], dentro do Judaísmo Ortodoxo.

Quando eu tinha um ano de idade, meu pai faleceu. Na nossa família havia onze filhos, e para minha mãe ficou muito difícil sustentar os onze. Portanto, ela teve que nos enviar a famílias diferentes. Eu fui encaminhado para uma família em que o homem também era um rabino. Ele me adotou até meus três anos de idade, mas depois faleceu.

Então, fui enviado para outra família, também de rabinos, e lá comecei a estudar na Yeshivá[2] até a idade de oito anos. E com a idade de oito anos eu tinha concluído o aprendizado de um livro do Tanach[3].

Então, eles me enviaram para outra cidade no Marrocos chamada Meknes. Lá havia uma Yeshivá que era uma escola da Torá para órfãos. E uma vez que eu era muito bom aluno, apesar de muito jovem, eles me promoveram ao estudo do Talmud, que era uma classe mais avançada do que a classe do estudo da Torá. Em seguida, aquela família decidiu emigrar para Israel, e eu tive que encontrar uma outra família.

Durante todo esse tempo eu sentia que não tinha a minha própria família. Não era uma vida fácil para mim, como criança. Essa é a razão pela qual eu realmente mergulhei no Tanach. Dia e noite eu estudava o Tanach.

Um dia, um grupo sionista chegou ao Marrocos. Começarem a tomar jovens, órfãos, reunindo-os para levá-los a Israel.

Quando cheguei em Israel, voltei imediatamente a estudar na Yeshivá em Bnei Brak (cidade que é o centro do Judaísmo Ultraortodoxo). Eles possuem escolas da Torá muito renomadas. Lá eu estudei até a idade de 17 anos e meio, quando entrei para o Exército israelense.

Quando terminou meu tempo no Exército,  estudei em casa por algum tempo a fim de fazer as provas para o Rabinato. Ao terminar [as provas e me tornar Rabino], eles me deixaram trabalhar. Meu primeiro emprego foi como um Shochet[4] dentro do Rabinato.

Não foi fácil. Em seguida, mudamo-nos para uma cidade chamada Nahariya, que fica na parte norte de Israel.

Então, eu trabalhava para o Rabinato em Nahariya. Além de trabalhar como Shochet, também trabalhava ensinando na Yeshivá. Então, eu pedi para ser um Rabino congregacional, e foi muito difícil, porque no Norte de Israel há uma segregação muito forte entre sefaraditas e asquenazitas. Não havia amor entre eles.

E hoje eu sei como é bom vir à fé em Yeshua HaMashiach, porque a primeira coisa que encontrei foi o amor.

Deixe-me dizer como eu recebi Yeshua HaMashiach.

Eu sofri uma série de perseguições em Israel e no Marrocos por conta dos gentios. Eles costumavam nos perseguir pelo fato de sermos judeus. Muitas vezes eu me perguntava no meu íntimo: “Como é que esses cristãos, que me perseguem durante toda a semana, vão aos domingos e adoram um judeu?” Eu não conseguia entender. E ainda assim eu queria saber onde este nome surgiu. Quem é este Yeshua?

Na guerra de Yom Kippur, países árabes atacaram Israel de surpresa. Era Yom Kippur (Dia da Expiação/“Dia do Perdão”), quando Israel e todo o povo estava na sinagoga.

Eu era, naquele dia, um Chazan[5] em uma das sinagogas.

Enquanto eu estava orando, de repente, ouvimos sirenes, barulhos altos, tráfego de veículos. Durante o Yom Kippur você não encontra um carro em Israel.

Mas, de repente, era possível ver ônibus correndo, veículos públicos, todo mundo estava indo para sua casa. Consegui chegar às Colinas de Golã às 17:00. Eu era um dos tripulantes em um tanque do Exército. Eu era o motorista do tanque.

Naquela noite em Golã, entre 17:00 às 20:00 horas, os sírios conseguiram tomar uma parte do norte de Israel.

Era muito difícil chegar a qualquer lado, porque havia um monte de minas na estrada. Atacamos naquela noite - um contra-ataque -, e na manhã seguinte ocorreu um grande milagre.

Havia oito pessoas no meu tanque. Enquanto a guerra estava acontecendo e seguíamos avançando, um dos soldados disse: “Veja quantos mortos e feridos nós temos, vamos orar”. Eu disse a ele:  “Não há tempo para orar agora, temos de avançar. Não temos tempo”. Mas ele me disse: “Eu não me importo. Vamos parar tudo e orar”.

Essa foi a primeira vez que ouvi alguém orando em nome de Yeshua HaMashiach. Aquele soldado era um judeu, e orou em nome de Yeshua!

As bombas estavam caindo ao nosso redor e ele estava de pé todo satisfeito e orando. Naquele momento eu não conseguia entender de onde ele tirou forças para orar, ou tempo, pois as bombas estavam caindo ao nosso redor.

E eu lhe disse: “Por que você está orando em nome de Yeshua? Por que Yeshua? Você quer trazer mais aflição sobre nós?”

Este dia foi, particularmente, um dia muito quente, não havia nem um pouco de vento, não havia ar para respirar. Os soldados, que são especialistas em encontrar essas minas e desarmá-las, estavam ocupados fazendo seu trabalho ao nosso redor, e quando nós terminamos de orar, Elohim enviou, de repente, um vento forte que levantou toda a areia e até mesmo pequenas pedras, e nós não tínhamos mais que procurar pelas minas, porque elas estavam na superfície.

Quando vi isso, pensei: “Eu estou ficando louco”. Nesta fase, eu não tinha certeza. “Eu estou sonhando? Isso é verdade?”. Mas nós continuamos com a guerra.

Depois de alguns dias de combates nós esquecemos - eu pelo menos esqueci -  sobre a oração que fizemos.

Após dias de luta entre a Síria e Israel, houve quase que um cessar-fogo. Mas depois tudo recomeçou e percebemos que estávamos simplesmente cercados, e vimos a morte na frente de nossos olhos. E aquele soldado me disse: “Vamos orar novamente”. Eu disse: “Por que você quer orar agora? Eles começaram a guerra de novo, as bombas estão voando como chuva”.

Nesse meio tempo, recebemos uma ordem dos oficiais para irmos ao Monte Hermon, mas este soldado passou um rádio e disse: “Eu sinto muito... Eu não ouço nada... estou ocupado orando”. E ele continuou a orar. Depois fomos para dentro do tanque, e quando dirigimos cerca de meio quilômetro, vimos à distância algo como um sinalizador, uma bomba vindo em direção ao nosso tanque. Então ouvimos a explosão. O tanque quase se desintegrou. Éramos oito, cinco morreram. Eu fiquei gravemente ferido e passei nove meses no hospital.

Esse soldado que havia orado saiu como se nada tivesse acontecido!!!

Isto permaneceu na minha mente enquanto estive no hospital. Ele vinha me visitar com frequência, e ainda assim eu simplesmente não podia acreditar no que ele me disse. Eu estava muito absorto e ocupado em acreditar naquilo que me foi ensinado por tantos anos.  Eu sentia que se eu orasse em nome de Yeshua, ou mesmo mencionasse esse nome, eu seria um traidor da minha fé, e do meu povo, e do meu Elohim. No entanto, crentes em Yeshua não me deixavam. Eles simplesmente não me deixavam em paz. Eles vinham testemunhar para mim o tempo todo sobre Yeshua HaMashiach, cada vez pessoas diferentes.

Havia uma família muito agradável da Inglaterra que estava vivendo em Nahariya, e nos tornamos amigos. De repente, eu me vi procurando nas Escrituras. Comecei a olhar Yeshayahu (Isaías) 53, Yirmeyahu (Jeremias), Yechezk’el (Ezequiel). Mas eu ainda não conseguia entender de quem estes profetas estavam falando.

Mas eu dei àquelas pessoas o benefício da dúvida. Eu disse: “Talvez tenham razão e talvez nós estejamos errados”. Então eu me encontrei em uma perseguição, uma perseguição pela verdade.

Estudei as minhas próprias Escrituras, fui à Yeshivá, às Bibliotecas e a todos os lugares diferentes para estudar livros e tentar descobrir quem este Yeshua é.

Eventualmente, eu percebi que isso não era suficiente - as Escrituras. Eu queria ler historiadores dos tempos antigos, o que eles tinham escrito sobre Yeshua HaMashiach.

Orei a Elohim: “Se Yeshua está vivo, mostre-me nas Escrituras”. Elohim me mostrou o caminho. Ele iluminou as Escrituras para mim, e nelas eu achei Yeshua HaMashiach!!!

Não há tempo agora, mas no futuro eu posso mostrar como encontrar Yeshua HaMahiach no Talmud, nos Midrashim etc.

Depois de aceitar Yeshua HaMashiach no meu coração, e de conhecê-lo melhor, e depois de receber o seu reino, só posso dizer que, após estudar 35 anos em Yeshivot, pela primeira vez eu percebi que durante estes 35 anos eu estava como morto, e agora eu comecei a viver.

E agora eu entendi o que realmente disse Yechezk’el (Ezequiel) sobre colocar um novo coração em você.

Eu verdadeiramente recebi um novo coração!!!

 


[1] Yeshivot (singular: Yeshivá) são instituições de ensino do Judaísmo, em que os alunos estudam a farta literatura judaica (Tanach, ou seja, a Bíblia Hebraica, Talmud, Midrashim etc) e praticam esta religião.

[2] Vide nota anterior.

[3] Escrituras Sagradas em Hebraico (“Antigo Testamento”).

[4] Profissional judeu que, de acordo com as leis judaicas, realiza o abate de animais para consumo.

[5] Cantor que realiza a liturgia religiosa nas sinagogas.

 

Contato

TSADOK BEN DERECH judaismonazareno@gmail.com