A história do Rabino Eliezer Ben Hyrcanus: Sábio talmúdico e Nazareno

06/11/2017 09:18

A história do Rabino Eliezer Ben Hyrcanus: 

Sábio talmúdico e Nazareno

 

Autor: James Scott Trimm

Tradução: Isabelle Castro

Notas explicativas: Tsadok Ben Derech

 

 

O Rabino Eliezer Ben Hyrcanus foi um do mais proeminentes tanaim do primeiro e segundo século e o sexto Rabino mais frequentemente mencionado na Mishná.

{Nota de Tsadok: Os tanaim eram sábios rabinos que se dedicavam ao estudo da Torá e da Lei Oral, cujas interpretações estão registradas na Mishná. Os tanaim aprendiam, retinham e compilavam as tradições orais, e foram famosos pelo alto grau de absorção dos ensinamentos judaicos. Segundo o Pirkê Avot, o Rabino Eliezer Ben Hyrcanus foi chamado de “uma cisterna cimentada que não perde nenhuma gota”, ou seja, um sábio que retém todos os ensinamentos dos antigos mestres e não se esquece de nenhuma lição. Não é à toa que o famoso Rabino Akiva se uniu à Escola do Rabino Eliezer, a fim de aprofundar os seus estudos. Conforme se verá adiante, o erudito Rabino Eliezer Ben Hyrcanus se tornou um Nazareno!!!}

O Talmud diz de seu Beit Din {Nota de Tsadok: ou seja, acerca do Tribunal Rabínico presidido pelo Rabino Eliezer}:

“Nossos rabinos ensinaram: Justiça, justiça tu deverás seguir, isto é, Tu deverás seguir um eminente Beit Din [Tribunal], como por exemplo, [siga] o R. Eliezer [b. Hyrkanus] à Lyda, ou o R. Yochanan Ben Zakai a Beror Hel”. (b.Sanhedrin 32b).

{Nota de Tsadok: Lyda era a cidade onde estava instalada a Yeshivá do Rabino Eliezer e seu Beit Din (Tribunal). Então, a citação acima afirma para se procurar o Beit Din do Rabino Eliezer por ser um Tribunal justo e confiável}

Ele {Eliezer Ben Hyrcanus} foi um dos maiores dos cinco alunos do rabino Yochanan Ben Zakai, que foi discípulo de Hilel, o Grande (m.Avot 2:8). 

O Rabino Yochanan Ben Zakai disse de seu aluno, o rabino Eliezer:

“Se todos os sábios de Israel estivessem de um lado da balança, e o rabino Eliezer Ben Hyrcanus estivesse do outro lado, ele teria superado todos eles” (m.Avot 2:8).

Então, o rabino Eliezer foi um dos mais importantes rabinos no Talmud, e ele também era um Nazareno!

Registros do Talmud mostram que o rabino Eliezer foi preso em razão de “Minut” [Heresia]:

“Nossos rabinos ensinaram: Quando o R. Eliezer foi preso por causa de Minut [Heresia], eles o trouxeram ao Tribunal para ser julgado. Disse o governador para ele: ‘como pode um homem sábio como você se ocupar com coisas tão lamentáveis?'’. Ele [o R. Eliezer] respondeu: ‘eu reconheço o Juiz como correto’. O governador pensou que ele se referia a ele - Entretanto ele se referiu a seu Pai no céu - e disse [o governador]: ‘porque me reconheceste, eu o perdoo; tu estás absolvido’. Quando retornou para casa, seus discípulos o visitaram para consolá-lo, mas ele não aceitaria nenhum consolo” (b.Avodah Zarah 16b).

{Nota de Tsadok: O Rabino Eliezer estava inconsolável em razão de ter sido acusado de heresia, o que entristeceu bastante o seu coração, já que nunca se desviou da Torá de YHWH}

Como a história continua:

“Disse o R. Akiva a ele: ‘Mestre, permita-me dizer algo sobre o que ensinaste a mim?’ Ele respondeu: ‘Diga’. ‘Mestre’, disse ele, ‘é provável que alguns dos ensinamentos dos Minim [Hereges] tenham sido transmitidos a ti e tu os aprovaste e devido a isso foste preso?’.

Ele exclamou: ‘Akiva, tu me lembraste. Uma vez estava caminhando no mercado superior de Séforis, quando eu me deparei com um dos discípulos de Yeshua, o Nazareno, conhecido pelo nome de Yaakov de Kefar-Sekaniah, o qual me disse: ‘Está escrito em tua Torá: Tu não deverás trazer o salário de uma meretriz à casa do Senhor, teu Deus. Deve esse dinheiro ser utilizado para a construção dos aposentos do Sumo Sacerdote?’ Ao que não respondi. Ele disse para mim: ‘Assim, eu fui ensinado [por Yeshua, o Nazareno], pois do pagamento de uma meretriz ela os reuniu e como o pagamento de uma meretriz eles retornarão’ (Michá/Miqueias 1:7); eles vieram de um lugar de sujeira, deixá-los ir para um lugar de imundície’[1].

Essas palavras me agradaram muito, e é por isso que fui preso por apostasia; pois desse modo eu transgredi as palavras das Escrituras: Remova o teu caminho para longe dela [Pv 5:8] - que se refere à minut - e não se aproxime à porta de sua casa - que se refere ao poder governante [Avot 1:10]” (b.Avodah Zarah 16b-17a).

(A mesma história aparece com algumas diferenças no Midrash Rabá de Eclesiastes).

A narrativa acima intenta à implicação de que o Rabino Eliezer não foi realmente culpado, mas teria somente repetido a halachá que ouvira de um dos Minim. Contudo a realidade é que Rabino Eliezer foi excomungado do Judaísmo Rabínico em decorrência da sua heresia e permaneceu excomungado até o dia de sua morte.

{Nota de Tsadok: A palavra “Minim” significa “hereges”, e era como os discípulos de Yeshua eram chamados injustamente pelos Rabinos.  Por conseguinte, no texto citado consta que o Rabino Eliezer aprendeu halachá com os Minim, isto é, com os discípulos de Yeshua. Já que o Rabino Eliezer foi acusado de heresia, por unir-se aos Minim, e sua excomunhão permaneceu até o dia de sua morte, conclui-se facilmente que o R. Eliezer se tornou um Nazareno}

Quem eram os “Minim”?  O “Pai da Igreja” do quarto século, Jerônimo, escreve:

“Hoje ainda existe entre os judeus em todas as sinagogas do Leste uma heresia chamada como aquela dos Minæans, a qual continua sendo condenada pelos Fariseus; [pelos seus seguidores] os Minim são comumente chamados de ‘Nazarenos’; eles acreditam que o Messias, o filho de Deus, nasceu da Virgem Maria e eles o tem como aquele que sofreu sob o domínio de Pôncio Pilatos e ascendeu ao céu, em quem nós cremos também.  (Jerônimo; Carta 75 de Jerônimo para Agostinho)”.

Minæans era aparentemente uma forma latinizada do hebraico MINIM (singular MIN), uma palavra que no hebraico moderno significa “apóstatas” [hereges], mas foi originalmente um acróstico para uma frase em hebraico que significa “Crentes em Yeshua, o Nazareno”. É quase certo que Yaakov de Kefar-Sekaniah, quem influenciou Eliezer, era ou Yaakov (Jacó/ Tiago), talmid de Yeshua, ou Yaakov HaTsadik (Tiago, o justo).

{Nota de Tsadok: Yaakov (Jácó/“Tiago”) foi o discípulo de Yeshua mencionado em Mt 10; enquanto Yaakov HaTsadik foi irmão de Yeshua e, segundo relatos históricos, assumiu a liderança dos Nazarenos após a morte de Yeshua, sendo também o autor da carta conhecida como Yakov (“Tiago”). Consequentemente, segundo a tese defendida pelo Rabino James Trimm, o Rabino Eliezer teve contato e aprendeu halachá ou com Yaakov, o discípulo (Mt 10), ou com Yaakov HaTsadik, irmão de Yeshua}  

O conflito entre o Rabino Eliezer e seus colegas rabinos chegou ao ápice quando o Rabino Eliezer se recusou a reconhecer a autoridade do Sanhedrin [Sinédrio] Rabínico:

“Tem sido ensinado: Naquele dia R. Eliezer apresentou todos os argumentos imagináveis, porém eles não os aceitaram. Disse-lhes R. Eliezer: ‘Se a halachá concorda comigo, que esta alfarrobeira o prove!’ Imediatamente a árvore foi arrastada cem côvados do lugar onde estava – 400 côvados, outros afirmam. ‘Nenhuma prova pode ser trazida de uma alfarrobeira’, eles replicaram. Outra vez disse-lhes [o R. Eliezer]: ‘Se a halachá concorda comigo, que o riacho prove isso!’ Em seguida o riacho correu para trás. – ‘Nenhuma prova pode ser trazida de um riacho’, eles rebateram. Outra vez ele [o R. Eliezer] insistiu: ‘Se a halachá concorda comigo, que as paredes da escola provem’. No mesmo instante as paredes se inclinaram para caírem. Mas R. Yehoshua as repreendeu, dizendo: ‘Quando os sábios estão engajados em uma disputa haláquica, o que têm vós a interferir?’ Consequentemente as paredes não caíram, em honra ao R. Yehoshua, nem continuaram eretas, em honra ao R. Eliezer; e permanecem inclinadas. Outra vez disse-lhes [o R. Eliezer]: ‘Se a halachá concorda comigo, que o céu prove!’ Ao que uma voz celestial ressoou: ‘Porque disputais com o R. Eliezer, vendo que a halachá concorda com ele de todas as formas!’

{Nota de Tsadok: Ou seja, o ETERNO disse que o R. Eliezer estava certo, e os demais rabinos errados}

Mas R. Yehoshua levantou-se e exclamou: ‘[a Torá] não está no céu’. O que ele quer dizer com isso? - R. Yirmeyahu disse: Porquanto a Torá já fora entregue no Monte Sinai; nós não damos ouvidos a uma voz celestial, pois Tu escrevestes há muito tempo a Torá no Monte Sinai. Perante à maioria é necessário render-se” (b.Baba Metzia 59b)”.

{Nota de Tsadok: Ou seja, uma voz dos céus, que é a voz do ETERNO, falou que a halachá correta era a do R. Eliezer, porém, os demais Rabinos disseram que não acolheriam o que foi dito pela voz celestial, já que a Torá não está nos céus, isto é, está na terra e o que deve prevalecer é a decisão da maioria dos Rabinos, e não a vontade de YHWH. Esta passagem demonstra o absurdo a que chegou o Judaísmo: a decisão da maioria dos Rabinos é superior à própria decisão do ETERNO! E mais: na passagem que será citada a seguir, diz o Talmud que o ETERNO falou que foi derrotado pelos Rabinos}

O relato no Talmud continua a narrar a excomunhão do Rabino Eliezer:

“R. Natan encontrou-se com Eliyahu e perguntou-lhe: O que O Santo, Bendito seja, fez nessa hora?  - Ele riu [com alegria], e respondeu dizendo: ‘Meus filhos têm me derrotado, meus filhos têm me derrotado’. Foi dito: Naquele dia todos os objetos que R. Eliezer tinha declarado limpos foram trazidos e queimados no fogo. Então eles votaram e excomungaram-no. Disseram eles: ‘Quem irá informá-lo?’ ‘Eu irei’, respondeu o R. Akiva, ‘a fim de que uma pessoa despreparada não o faça e assim destrua o mundo inteiro’. O que fez o R. Akiva? Ele vestiu-se com trajes pretos, cobriu-se de preto e sentou-se a uma distância de quatro côvados dele.  ‘Akiva’, disse o R. Eliezer, ‘o que particularmente aconteceu hoje? ‘Mestre’, ele respondeu, ‘parece-me que teus companheiros se afastaram de ti’. Naquela hora ele também vestiu seus ornamentos, tirou suas sandálias, levantou-se e sentou-se na terra, enquanto lágrimas rolavam de seus olhos. Então o mundo foi castigado: um terço da safra da oliveira, um terço do trigo, e um terço da colheita da cevada. Alguns dizem que a massa de pão nas mãos das mulheres inchou.

O Tanach ensina: Grande era a calamidade que sucedeu naquele dia, pois tudo aquilo que R. Eliezer contemplava foi destruído pelo fogo. R. Gamaliel estava viajando em um navio, quando uma onda enorme se levantou para afogá-lo. ‘Parece-me que’, ele refletiu, ‘isso se deve a nenhum outro, senão ao R. Eliezer B. Hyrcanus’. A isso levantou-se e exclamou: ‘Soberano do Universo! Tu sabes muito bem que eu não agi pela minha honra, nem pela honra de minha casa paterna, mas para a tua honra, a fim de que essa peleja não se multiplique em Israel!’ Naquele momento o mar revolto se acalmou” (b.Baba Metzia 59b).

{Nota de Tsadok: os fenômenos miraculosos que aconteceram demonstram que o ETERNO não se agradou da decisão dos Rabinos de banir o R. Eliezer. Importante destacar que, apesar de ter sido excomungado por seus colegas rabinos, o Rabino Eliezer consta da lista dos sábios da Mishná}

O fato de que Eliezer era realmente um Nazareno é suportado também pela halachá na qual ensina a respeito dos votos:

R. Eliezer diz: Eles anulam o voto de um homem pela referência à honra de seu pai ou mãe” (m.Nedarim 9:1).

Isto ecoa claramente o ensino de Yeshua:

“3 Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Por que transgredis vós, também, a mitsvá de Elohim pela vossa tradição?

4 Porque Elohim ordenou, dizendo: Honra a teu pai e a tua mãe; e: Quem maldisser ao pai ou à mãe, certamente morrerá.

5 Mas vós dizeis: Qualquer que disser ao pai ou à mãe: É oferta ao ETERNO o que poderias aproveitar de mim; esse não precisa honrar nem a seu pai nem a sua mãe,

6 E assim invalidastes, pela vossa tradição, a mitsvá de Elohim” (Mt 15:3-6).

Esse paralelo é relevante especialmente quando sabemos que o Rabino Eliezer foi citado também dizendo: “Eu nunca ensinei algo que não tenha aprendido de meus mestres” (B. Sukot 28a).

{Nota de Tsadok: Percebam: o Rabino Eliezer citou ensino exatamente igual ao de Yeshua HaMashiach, e disse que nunca ensinou algo que não tenha aprendido de seus mestres. Por conseguinte, deduz-se que o Rabino Eliezer aprendeu as lições de Yeshua com os discípulos do Mashiach}  

Com a aproximação de sua morte, é relatado que esteve cercado por seus companheiros e alunos, que permaneceram com ele até o fim debatendo questões relacionadas à Torá (b.San. 68a, 101a). O Rabino Akiva em tributo declarou que: “desde a morte do Rabino Eliezer Ben Hyrcanus, o livro da Torá está oculto”. (Sotah 49b).

{Nota de Tsadok: Se desde a morte do Rabino Eliezer Ben Hyrcanus o livro da Torá está oculto para os Rabinos, isto significa que estes não compreendem, de fato, o que consta na Torá, diferentemente do R. Eliezer, que conseguiu extrair o exato conteúdo da Torá. Ora, por que a Torá não estava oculta para o Rabino Eliezer? Resposta: Porque ele reconheceu que Yeshua é o Mashiach de Israel! }

 

 


[1] Nota de rodapé acrescentada por Tsadok:

Sobre a passagem citada, mister citar o magistério do Rabino Yossef Baruch:

“O famoso Rabi Eliezer ben Hircanus recorda que um ‘cristão judeu’ ou ‘judeu messiânico’, chamado Yaacov de Kfar Seranaya, interpretou ‘Não trarás a casa de (...) teu D’us o salário de uma prostituta’ (Deuteronômio 23:18), no sentido de que tal dinheiro só seria adequado à construção de uma latrina para o Sumo-Sacerdote.

Quando Eliézer confessou que era incapaz de compreender a explicação, Yaacov apresentou-lhe uma halachá (exegese) atribuída a Yeshua que aparentemente vinculou Miquéias 1:7 (‘já que elas [todas as suas estátuas] foram ajuntadas com o salário da prostituição, tornar-se-ão de novo salário de prostituição’) a Deuteronômio 23:19 para chegar a explicação: ‘De um lugar de corrupção elas vieram, e ao lugar de corrupção elas retornarão’. Rabi Eliézer ficou impressionado com o talento interpretativo de seu Mestre (Yeshua), e, por causa disso, foi acusado de heresia e excomungado pelos outros rabinos” (Rabi Eliézer ben Hirkanus e o Messias Yeshua).

 

 

Contato

TSADOK BEN DERECH judaismonazareno@gmail.com